Que exercícios posso praticar durante a gravidez?

É de grande importância um atestado médico liberando a grávida para o início da atividade logo após seu ingresso nessa nova fase de sua vida. Se a futura mamãe nunca tiver praticado atividade física, ou pelo se menos não estava praticando antes de engravidar, não é recomendado o início da prática até completar o primeiro trimestre, pois é durante esses três meses que a placenta, órgão no qual o feto é envolvido e que é responsável pela troca de substâncias entre mãe e filho, é formada. Além disso, nesse período os órgãos do bebê estão sendo formados e as chances de ocorrer uma má formação ou um aborto é grande.

Infelizmente, não há muitos estudos relacionados ao tipo de atividade que deva ser realizada, a intensidade do exercício, a duração e a frequência, pois poderia-se colocar em risco a vida do feto e da mãe. Mas existem recomendações a serem consideradas para que a gestante não se exponha desnecessariamente. É preciso que se conscientize a grávida que a partir do momento em que o óvulo se fecunda não se trata mais de ter como objetivo o físico, a estética, mas sim a saúde, a qualidade de vida. A partir desse momento, o mais importante é ter uma gestação tranquila, a mais confortável possível.

exercicio_na_gravidezE a atividade física é importante para a musculatura estar preparada para suportar as mudanças que ocorrem com o aumento de peso e a retenção hídrica. Assim como melhorar a postura, as posições do cotidiano, já que a estrutura corporal é modificada a fim de se adequar ao bebê (aumento da lordose lombar, da flexão anterior cervical, da curvatura dorsal e a protusão dos ombros). Nesse momento, não há ganho de condicionamento, de performance, pelo contrário, o máximo que se consegue é a manutenção. Sem contar que o aumento de peso, que é inevitável, não se exceda.

Antigamente, os batimentos cardíacos por minuto durante o exercício não deveriam passar de 140. Hoje em dia já se chega a 155 bpm, no máximo, em pessoas que já faziam atividade física antes de engravidar. Esse máximo é estipulado para que não comprometa o bebê e para que não haja competição entre o esforço da mãe e o aporte sanguíneo do feto.

Durante os exercícios devem ser evitadas algumas posições. Deitar em posição supina (barriga para cima) durante muito tempo é uma delas. A partir do segundo trimestre o peso do bebê pode comprimir alguns vasos grandes e importantes do nosso corpo dificultando a circulação sanguínea. A gestante acaba se sentindo tonta por dificuldade do retorno do sangue caso experimente essa posição. A elevação e/ou execução de exercícios que utilizem simultaneamente as pernas aumenta muito e rapidamente a frequência cardíaca. Exercícios com rotação da coluna também devem ser evitados.

As variáveis tipo de atividade, intensidade, duração e frequência podem influenciar diretamente no desvio do fluxo sanguíneo, do equilíbrio térmico e da produção hormonal. O crescimento da temperatura corporal da mãe induzida pelo exercício pode aumentar a temperatura corporal do feto. Por isso que se deve ficar atento para a temperatura da piscina para quem a frequenta para fazer atividade física ou não. Hidroginástica é uma atividade recomendada devido ao baixo grau de impacto, mas não se deve esquecer das outras variáveis, como intensidade e duração, por exemplo.

Durante a gestação as grávidas ficam bem mais flexíveis devido à produção de um hormônio chamado relaxina, que deixa as articulações e ligamentos mais frouxos. Por ter uma maior amplitude dos movimentos deve-se tomar cuidado para não forçar exageradamente nos exercícios e causar alguma lesão. Atenção redobrada com as quedas, já que o centro de gravidade da gestante é modificado.

Existe uma escassez sobre trabalhos relacionados ao efeito da musculação sobre as gestantes, mas nenhuma atividade é proibida para esse grupo e sim existem algumas precauções, como por exemplo, evitar exercícios estáticos, pois aumentam a pressão arterial. Atentar para que não haja apneia, para que a intensidade das cargas seja de leve a moderada (60 a 70%), no máximo 12 repetições, e que haja alternância entre membros inferiores e superiores. Com relação às atividades aeróbias, 30 minutos de atividade leve a moderada e de preferência de baixo impacto, como uma bicicleta, são ideais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *